Quando o assunto é condomínio, uma das primeiras coisas que nos vem na cabeça são os moradores. Existem diversos tipos de pessoas compartilhando um mesmo espaço residencial ao mesmo tempo, dentre elas as fofoqueiras, as barulhentas e até as inadimplentes.  

Cabe ao síndico estar preparado para saber a melhor forma de lidar com cada um desses indivíduos. Foi pensando nisso que a lista abaixo foi elaborada com os “perfis” de condôminos que são encontrados mais frequentemente. 

1 – Moradores comuns 

São aqueles que costumam respeitar as regras do condomínio, não fazer muitas reclamações, e no geral, não são trabalhosos de se lidar. O lado ruim de pessoas com esse perfil é que elas não têm o hábito comparecer a assembleias, somente quando for uma situação urgente ou quando um assunto muito importante for abordado. 

A melhor forma de lidar com os moradores comuns é agir com transparência e escutar calmamente o que eles têm a dizer, evitando que o perfil tranquilo se transforme em algum mais problemático no futuro. 

2 – Moradores barulhentos 

Festas com músicas altas, gritarias incessantes durante os jogos de futebol ou crianças correndo de um lado para o outro o dia inteiro. Qualquer que seja a situação, esses moradores só podem ser definidos com uma palavra: barulhentos. O incômodo dos vizinhos é constante, e costumam surgir muitas reclamações por conta da barulheira que acontece dentro da casa dessas pessoas. 

O maior problema que pode surgir ao lidar com moradores barulhentos é a forma que reagem aos avisos do síndico. Caso se mostrem inflexíveis quanto aos avisos, ou inventem desculpas como “o morador ao lado que é implicante demais”, a melhor atitude a ser tomada é fazer uma advertência por escrito. Se eventualmente o problema não for resolvido, não restará opções senão multá-lo. 

3 – Moradores fofoqueiros 

Um dos perfis mais encontrados e talvez um dos mais cansativos. Os moradores fofoqueiros geralmente são os causadores de discórdia em condomínios e fontes de boatos que muitas das vezes são infundados. A honra tanto do síndico quanto a dos moradores corre perigo se cair na boca de uma dessas pessoas. 

Por mais que possa parecer uma dor de cabeça lidar com eles, não é necessário, no entanto, gastar tanta energia. Evitar passar informações quando encontrá-los pelos corredores e esclarecer situações da maneira mais direta possível já é o suficiente para impedir que surjam boicotes velados ou mentiras sobre a administração e o síndico. 

4 – Moradores inadimplentes  

Difíceis de entender e ainda mais de conversar. Esses moradores não costumam pagar o condomínio, mas parecem sempre ter dinheiro sobrando para fazer festas, trocar de carro ou reformar a casa inteira. 

Com esse perfil de morador, não há muito o que fazer além de dialogar, e no caso de não funcionar, entrar com uma ação na justiça. Faltar compromisso com o local em que se vive, ainda mais em perfeitas condições financeiras, é inadmissível. 

5 – Moradores ausentes  

Se os moradores comuns participam pouco da vida condominial, os moradores ausentes são praticamente invisíveis quando se trata do assunto. Antissociais ou não, pessoas com esse perfil acreditam que não fará diferença se não participarem das decisões tomadas em assembleias, e sequer geram demandas para o síndico. 

Por mais que alguns decidam jamais participar dos assuntos relacionados ao condomínio, é de extrema importância realizar eventos que promovam a aproximação social de todos os residentes, tal como tentar demonstrar a esses indivíduos como sua opinião é necessária, dado que pode ser bastante complicado para o síndico tomar decisões com base na argumentação de poucos.  

6 – Os “donos do condomínio  

Comumente formado por pessoas que moram ali há bastante tempo, os “donos do condomínio” mais atrapalham do que ajudam. Esses moradores passam boa parte do tempo averiguando se os serviços estão feitos corretamente e tomando conta de áreas que não fazem parte de sua casa. Por um lado, é bom ter um par de olhos a mais, por outro, é exaustivo sempre precisar impor limites. 

No caso desse tipo de indivíduo, vale ressaltar que a atenção precisa ser redobrada. Por acreditarem conhecer tudo sobre o condomínio, podem acabar dando ordens a outros terceirizados, o que dificulta o trabalho do síndico quando precisar daqueles funcionários. 


0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *